Três Ranchos na luta contra a poluição sonora

decibelimetro

Há tempos que o Ministério Público de Catalão recomenda que o município de Três Ranchos realize, de forma efetiva, ações de combate à poluição sonora. Como a cidade é ponto turístico, esse problema costuma ser agravado.

Uma das exigências do MP é que, além de aparelhos de medição de ruído (decibelímetro) e atendimento ao cidadão para reclamações e denúncias, fiscais treinados fiquem à disposição 24 horas para qualquer eventualidade.

Foi imposto aos governantes daquele município “a realização de campanha de educação ambiental com orientações ao cidadão sobre a necessidade de respeitar o sossego, alertando sobre as responsabilidades em caso de desrespeito ao Código de Posturas. Também foi solicitada a realização de fiscalizações periódicas nas fontes de emissão de ruído e que sejam instaurados processos administrativos para a apuração de reclamações. Além disso, que sejam informados aos potenciais poluidores (carros com som potente, bares com música ao vivo, danceterias) dos limites máximos permitidos pela legislação (Trecho: MP)”.

No fim de março deste ano a Prefeitura de Três Ranchos, por meio de sua Secretaria de Meio Ambiente (SEMMA), ofereceu curso de capacitação para os profissionais da área de fiscalização ambiental, bem como os mecanismos e utensílios necessários para o desempenho imediato das atividades.

E o que aconteceu de lá para cá?

No dia 8 de maio do corrente ano aconteceu uma audiência pública na Câmara Municipal de Vereadores, realizada pela Prefeitura através da SEMMA, para discutir as normas de proteção do bem-estar e do sossego público, entre outras providências. Além dos agentes de fiscalização, foi colocado também à disposição da população o “Disk Denúncia”, um serviço disponível ao público para atender reclamações sobre as questões ambientais, com destaque para a “Poluição Sonora”.

A trirranchense Susany Belchior disse ter notado o trabalho e a quase extinção dos carros com sons “turbinados” em locais públicos de sua cidade. Ainda segundo ela, a Polícia Militar também tem atuado nas intervenções. “Diminuiu bastante mesmo, até não tendo mais. Acontece às vezes de se ouvir som alto nas casas de veraneio, isso nos finais de semana e em temporadas, mas nas praças, onde acontecia com frequência de se ver carros cheios de som, isso não mais. As pessoas estão preferindo ir para Catalão porque o Meio Ambiente e a polícia daqui logo mandam baixar o volume ou desligar o som”.

Mecânico de automóveis, Lindomar Pereira Nascimento Júnior também confirmou drástica mudança na cidade do Lago Azul em relação a som alto. “Já vi muito os fiscais do Meio Ambiente atuando, vão lá, pedem para baixar o som e resolve mesmo. Só que eu tenho visto exagero também porque a cidade é turística, a gente precisa dos visitantes e é justo que eles tenham liberdade aqui. É claro também que deve ser respeitado por eles o local e a hora de ficar com o som ligado, mas eu acho um exagero o que tá acontecendo aqui”, completou.

Com esse trabalho o município de Três Ranchos está atendendo, entre tantas resoluções e determinações, a Lei n° 9.341, que estabelece condições básicas de proteção ambiental contra a poluição sonora; e a Resolução CONAMA nº 002, de 08.03.1990, que institui o Programa Nacional de Educação e Controle de Poluição Sonora – Silêncio, e as Normas de n.º 10.151 e 10.152 da Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT.

Por: Gustavo Vieira 

Share Button

BB e Bradesco criam banco voltado para a população de baixa renda

bradesco-bb

O Bradesco e o Banco do Brasil receberam o aval do Banco Central para criar um novo banco com foco na população de baixa renda. A nova instituição financeira aguardava a chancela do BC para atuar há cerca de 3 anos.

Com previsão para abrir no próximo ano, a instituição terá na largada R$ 1 bilhão em empréstimos e operações com cartões que virão da financeira Ibi Promotora, controlada pelos 2 bancos.

Estratégia dos bancos é atingir cerca de 160 milhões de brasileiros que recebem até 3 salários mínimos mensais (R$ 2.364) e que, em muitos casos, não possuem contas em bancos.

Além de crédito ao consumidor, o banco vai oferecer cartões de crédito e cartões pré-pagos. A instituição também vai oferecer empréstimos por meio dos cartões. De acordo com fontes ligadas às empresas, no futuro, o novo banco pode oferecer outros produtos financeiros para as classes C, D e E.

Diante do alto nível de inadimplência entre pessoas de baixa renda, o banco concederá apenas empréstimos de valores baixos. Assim que demonstrar fôlego financeiro, o cliente poderá solicitar empréstimos maiores.

As instituições financeiras já são sócias na Alelo, de cartões de benefícios e de cartões pré-pagos; na Movera, de microcrédito; na Stelo, de meios eletrônicos de pagamentos; na Livelo, de programa de fidelidade; e na financeira Ibi.

Do O Financista

Share Button

Mercado de trabalho está em baixa, em Catalão

mercado-de-trabalho

A realidade para o trabalhador catalano continua nada favorável. De acordo com dados do Poupa Prazo, departamento de emprego da Secretaria Municipal de Trabalho e Renda  (SMTR), a previsão de demissões continua superando a de novas contratações e esse índice deve se manter por um longo tempo.

Em comparação com o mesmo período do ano passado, por exemplo, o número de entradas no seguro desemprego já está maior. Foram 7.525 demissões contra 7.676 nos onze meses de 2015, ou seja, 151 a mais que em todo o ano de 2014.

Lucas Ribeiro, um dos responsáveis por gerenciar o Sistema Municipal e Nacional de Empregos (SIME e SINE) no Poupa Prazo, contou que outros dados também não foram nada positivos. “Em 2014 fizemos 14.596 encaminhamentos para o mercado de trabalho, agora foram apenas 12.769. Candidatos em busca de trabalho inscritos até agora foram 4.011 contra 5.025 do ano passado, e empresas cadastradas aptas a oferecer emprego apenas 4 mil frente a 4.642 de 2014.”

Os encaminhamentos não significam contratação imediata, explicou Lucas, que lembrou ainda que o fechamento de postos de trabalho da Mitsubishi muito colaborou para essa péssima realidade.

Com base em dados do SIME, especialmente, somente no mês de novembro houve 500 contratações em Catalão, 175 a menos que no mesmo mês de 2014 – período de 675 vagas preenchidas. “Nós contamos que esses números melhorem com as vagas temporárias de fim de ano. Realmente a realidade não está nada boa e a nossa previsão é que 2016 continue ruim assim também”, lamentou Lucas. O único comparativo positivo foi na quantidade de emissões de carteiras de trabalho, sendo 1.921 até o dado momento contra 1.772 nos 12 meses de 2014.

O Poupa Prazo, localizado na Avenida 20 de Agosto, no Centro, é um departamento vinculado à SMTR e oferta empregos no município. Está de portas abertas de segunda à sexta, de 8h às 11h e das 13h às 17h, e atende também pelos telefones: 3441 6510 e 0800 645 2045.

Por: Gustavo Vieira 

Share Button

Secretaria de Meio Ambiente vistoria barragens de Catalão

barragem

Visita técnica foi motivada, principalmente, pelo desastre ocorrido em Mariana/MG

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Catalão (Semmac) coordenou e executou inspeções técnicas nas barragens de rejeitos das empresas mineradoras instaladas no município. As vistorias foram acompanhadas por um Grupo de Trabalho (GT) dedicado ao estudo e às ações necessárias para mitigar os impactos da mineração em Catalão.

O GT é formado por técnicos da Semmac, integrantes de movimentos sociais e sociedade civil. Entre eles: Alessandro Ferreira (geógrafo), Alfredo Arantes (geógrafo/servidor efetivo da Semmac), Marcelo Mendonça (secretário municipal), Marcus Fernandes (engenheiro químico/servidor efetivo da Semmac), Roni Alvacir Vargas (promotor de Justiça), Irmã Inês (Comissão Pastoral da Terra), Lidiane Teodoro (Movimento Camponês Popular) e representantes das comunidades afetadas:  Juliana Adelina da Silva Tomé e Wilson Batista Tomé (Comunidade Coqueiros), Cleiber Antônio da Costa (Comunidade Mata Preta ), e Marcos José de Oliveira, Maria Lúcia Oliveira Duarte e Letícia Oliveira Duarte (Comunidade Macaúba).

A visita técnica foi motivada, principalmente, pelo desastre ocorrido em Mariana/MG, onde o rompimento de uma barragem causou a morte de dezenas de pessoas e impactos ambientais de grande magnitude, sendo considerado um dos maiores crimes ambientais da história brasileira. De acordo com os responsáveis pelas empresas inspecionadas, todos os procedimentos de segurança são seguidos rigorosamente com o objetivo de evitar danos.

Eles também informaram que os relatórios são apresentados periodicamente ao órgão ambiental licenciador, a Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Recursos Hídricos, Infraestrutura, Cidades e Assuntos Metropolitanos (Secima) e ao Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM). Após as vistorias, as empresas foram notificadas a apresentar uma série de documentos, entre eles, as licenças ambientais das barragens, o Plano de Atendimento a Emergências e os relatórios técnicos de segurança das barragens.

O secretário de Meio Ambiente, Marcelo Mendonça, afirmou que as informações técnicas contidas nesses documentos são de extrema importância para deliberar a adoção de medidas preventivas e instruir a população em caso de acidentes que possam envolver pessoas e o meio ambiente. Ele ainda destacou a preocupação das empresas, o envolvimento de técnicos capacitados e que, a partir do episódio de Mariana/MG, todos os procedimentos estão sendo revistos com o objetivo de garantir a segurança das barragens.

Mendonça e o promotor Roni Alvacir Vargas estão em acordo que é necessário controle social sobre as ações dos empreendimentos de mineração e que auditorias possam ser feitas de forma independente. Isso assegura transparência e evita vícios que, comumente, ocorrem nos processos realizados por consultoriascontratadas pelos empreendedores. A Semmac aguarda os documentos solicitados (05 dias úteis) e após análise cuidadosa, se pronunciará sobre as ações a serem fortalecidas e/ou desenvolvidas.

Catalão já sofreu situações graves com o rompimento da barragem de magnetita em fevereiro de 2004 e que promoveu a destruição da bacia do Córrego Fundo, atualmente em processo de recuperação.

ASCOM / Prefeitura

Share Button

Claro é a melhor operadora de Catalão, segundo a Anatel

Logotipo-claro

A Anatel (Agência Nacional de Telecomunicação) disponibiliza um aplicativo para smartphones que permite consultar a qualidade do serviço das operadoras de telefonia celular em locais específicos. Chamado de Serviço Móvel, o aplicativo permite verificar a localização de antenas celulares, bem como o ranking de qualidade.

Como é sabido que os serviços de internet e de voz, especialmente, deixam a desejar, e as transmissões de dados em 2G e 3G (mensagens e GPS) mostram mesma condição às vezes; o aplicativo, que como explicado, disponibiliza a pontuação medida pela qualidade do serviço, qualifica a Claro entre Tim, Oi e Vivo como a melhor em todos os quesitos em Catalão.

O primeiro ranking apresentado pelo App é o de quantidade de ERBs, ou seja, antenas de cada operadora. Ele separa o número de antenas 2G, 3G e 4G (esse último não disponibilizado na região). Clicando em determinada operadora é possível localizar as posições das antenas em um mapa, e verificar quais tecnologias cada torre possui. Embora apresente menor ou igual número de antenas espalhadas por todo o município em relação as concorrentes, o melhor desempenho foi da Claro.

O aplicativo disponibiliza a qualidade de cada atendimento, mas também mostra dados negativos como quedas e desconexão da rede de dados. Até nisso a Claro mostrou bons resultados, ou seja, foi a operadora que menos deixou os catalanos na mão.

Confira todos os levantamentos abaixo:

VOZ índice ANTENA 3G 2G

Tenha o aplicativo em seu celular para monitorar sua operadora. Para aparelhos com sistema operacional Android, baixe AQUI. Usuários de Iphone, AQUI. Já que tem Windows Phone, clique AQUI.

O serviço está ruim? Ligue 1331 para registrar, junto à Anatel, reclamações contra prestadoras, pedidos de informação à Agência, sugestões e denúncias sobre exploração ilegal ou irregular de serviços de telecomunicações.

Pessoas com deficiência auditiva ou da fala devem ligar 1332 de qualquer telefone adaptado.

Por: Gustavo Vieira 

Share Button

O Ocidente escolheu o pior caminho: a guerra

Seguramente são abomináveis e de todo rejeitáveis os atentados terroristas perpetrados no último dia 13 de novembro, em Paris, por grupos terroristas de extração islâmica. Tais fatos nefastos não caem do céu. Possuem uma pré-história de raiva, humilhação e desejo de vingança.

Por Leonardo Boff*

guerra

O Ocidente optou pela guerra sem trégua. Mas nunca mais terá paz e viverá cheio de medo e refém de possíveis atentados, que são a vingança dos islâmicos.

Estudos acadêmicos feitos nos Estados Unidos evidenciaram que as persistentes intervenções militares do Ocidente com sua geopolítica para a região, e a fim de garantir o suprimento do sangue do sistema mundial que é o petróleo, rico no Oriente Médio, acrescido ainda pelo fato do apoio irrestrito dado pelos USA ao Estado de Israel com sua notória violência brutal contra os palestinos, constituem a principal motivação do terrorismo islâmico contra o Ocidente e contra os USA (veja a vasta literatura assinalada por Robert Barrowes; Terrorism: Ultimate Weapon of the Global Elite, em seu site: warisacrime.org – War is a Crime).

A resposta que o Ocidente tem dado, a começar com George W. Bush, agora retomado vigorosamente por François Hollande e aliados europeus mais a Rússia e os EUA, é o caminho da guerra implacável contra o terrorismo – seja interno na Europa, seja externo contra o Estado Islâmico na Síria e no Iraque. Mas esse é o pior dos caminhos, como criticou Edgar Morin, pois guerras não se combatem com outras guerras, nem o fundamentalismo com outro fundamentalismo (o da cultura ocidental, que se presume a melhor do mundo e com o direito de ser imposta a todos).

A resposta da guerra que, provavelmente, será interminável pela dificuldade de derrotar o fundamentalismo ou grupos que decidem fazer de seus próprios corpos bombas de alta destruição, insere-se ainda no velho paradigma pré-globalização, paradigma enclausurado nos Estados-nações, sem se dar conta de que a História mudou e tornou coletivo o destino da espécie humana e da vida sobre o Planeta Terra. O caminho da guerra nunca trouxe paz, no máximo alguma pacificação, deixando um lastro macabro de raiva e de vontade de vindita por parte dos derrotados que nunca, na verdade, serão totalmente vencidos.

O paradigma velho respondia guerra com guerra. O novo, da fase planetária da Terra e da Humanidade, responde com o paradigma da compreensão, da hospitalidade de todos com todos, do diálogo sem barreiras, das trocas sem fronteiras, do ganha-ganha e das alianças entre todos. Caso contrário, ao generalizar as guerras cada vez mais destrutivas, poderemos pôr fim à nossa espécie ou tornar a Casa Comum inabitável.

Quem nos garante que os terroristas atuais não se apropriem de tecnologias sofisticadas e comecem a usar armas químicas e biológicas que, por exemplo, colocadas nos reservatórios de água de uma grande cidade, acabe produzindo um dizimação sem precedentes de vidas humanas? Sabemos que estão se habilitando para montar ataques cibernéticos e telemáticos que podem afetar todo o serviço de energia de uma grande cidade, dos hospitais, das escolas, dos aeroportos e dos serviços públicos. A opção pela guerra pode levar a esses extremos, todos possíveis.

Devemos tomar a sério o que sábios nos alertaram como Eric Hobswbam ao concluir seu conhecido A era dos extremos: o breve século XX (1995:562): “O mundo corre o risco de explosão e implosão; tem que mudar… a alternativa para a mudança é a escuridão”. Ou então do eminente historiador Arnold Toynbee, depois de escrever dez tomos sobre as grandes civilizações históricas, nos vem esta advertência em seu ensaio autobiográfico Experiências (1969:422): “Vivi para ver o fim da História humana tornar-se uma possibilidade intra-histórica, capaz de ser traduzida em fato não por um ato de Deus, mas do próprio homem”.

O Ocidente optou pela guerra sem trégua. Mas nunca mais terá paz e viverá cheio de medo e refém de possíveis atentados, que são a vingança dos islâmicos. Oxalá não se realize o cenário descrito por Jacques Attali em seu Uma breve história do futuro (2008): guerras regionais cada vez mais destrutivas a ponto de ameaçarem a espécie humana. Aí a Humanidade, para sobreviver, pensará numa governança global com uma hiperdemocracia planetária.

O que se impõe, assim nos parece, é o reconhecimento da existência de fato de um Estado Islâmico e, em seguida, formular uma coligação pluralista de nações e de meios diplomáticos e de paz para criar as condições de um diálogo para pensar o destino comum da Terra e da Humanidade.

Receio que a arrogância típica do Ocidente, com sua visão imperial e ao se julgar em tudo melhor, não acolha esse percurso pacificador, mas prefira a guerra. Então torna a ganhar significado a sentença profética de M. Heidegger, conhecida depois de sua morte: .

Não devemos ingenuamente esperar a intervenção divina, pois o nosso destino está entregue à nossa responsabilidade. Seremos o que decidirmos: uma espécie que preferiu se autoexterminar a renunciar à sua vontade absurda de poder sobre todos e sobre tudo ou então forjarmos as bases para uma paz perpétua (Kant) que nos conceda viver diferentes e unidos, na mesma Casa Comum.

* É doutor em Teologia e Filosofia pela Universidade de Munique.

Publicado originalmente no site Portal Vermelho

 

Share Button

Durante COP21, embaixada do Brasil divulga contribuições para o clima

A COP 21 será aberta na próxima segunda-feira (30), na França, na busca um novo acordo global sobre o clima que limite o aquecimento global a 2 graus Celsius. O evento, que contará com 195 delegações, acontecerá até o dia 11 de dezembro em Paris.

 

O evento tem como objetivo divulgar a contribuição voluntária do Brasil para iniciativas de preservação do clima.

O evento tem como objetivo divulgar a contribuição voluntária do Brasil para iniciativas de preservação do clima.

Durante o evento, a embaixada do Brasil na França vai abrir suas portas para acolher uma série de encontros. Esse calendário paralelo ao da COP terá como objetivo divulgar e explicar qual será a contribuição voluntária do Brasil para iniciativas de preservação do clima envolvendo pecuária, meio ambiente, agricultura, minas e energia, entre outros.

Em setembro, em evento paralelo à 70ª Assembleia Geral da ONU, a presidenta Dilma Rousseff anunciou o objetivo do País de reduzir em 37%  as emissões de gases causadores do efeito estufa até 2025, e em 43% até 2030.

A presidenta já havia anunciado, durante encontro com o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, os compromissos de zerar o desmatamento ilegal e reflorestar 12 milhões de hectares até 2030.

Essas são algumas das iniciativas que serão apresentadas na embaixada brasileira.

Motivação

Para o embaixador, Paulo Cesar de Oliveira Campos,, a COP terá uma importante perspectiva de negociação, já que envolverá a participação da maioria dos países do planeta. “Todos os envolvidos terão a responsabilidade de elaborar um documento multilateral definindo ações efetivas para preservação do clima”.

“Nosso principal objetivo é motivar as pessoas a se envolverem nos projetos que o Brasil já tem e servir como exemplo para todos. Podemos citar o Cultivando Itaipu, Bolsa Verde e outros que tratam, por exemplo, da qualidade da água, preservação do solo, emissão de gases, melhoria das emissões industriais, entre tantos outros”, explicou Campos.

Ações

Para o Brasil, a importância de tomar ações na área de mudança do clima está associada à necessidade de reorientar o projeto de desenvolvimento nacional, levando em conta os interesses e as necessidades sociais, econômicas e ambientais do País.

Isso envolve a definição de ações transversais em áreas de vital importância, que afetam diretamente o desenvolvimento, e que requerem qualidade e competitividade. Essas ações incluem os setores de infraestrutura, da produção agropecuária, de energia e indústria, do uso da terra e de planejamento urbano, entre outros.

Segurança

Com relação ao reforço na segurança em Paris, o embaixador lembra que a importância da COP não pode diminuir.

“A COP tem que acontecer para o bem do planeta. A COP vai acontecer e todas as atenções estarão voltadas para seus debates, plenárias e negociações. Há muita expectativa para que desse grande encontro saia um documento ousado que realmente consiga eliminar a ameaça que nós temos de que nosso meio ambiente se transformará em algo ruim para a humanidade”, concluiu.

Blog do Planalto

Share Button

Principais notícias do dia – 30/11/2015

GetAttachment (1)

JORNAIS

O Estado de S. Paulo

Prisão de senador petista faz Lava Jato avançar na direção do Planalto

A prisão do líder do governo no Senado, Delcídio Amaral (PT-MS), e do banqueiro André Esteves, dono do BTG Pactual, precipitaram o avanço da Operação Lava Jato em sua investida sobre o Palácio do Planalto como origem do esquema sistematizado de corrupção no governo, desde o início do primeiro mandato do ex-presidente Lula.

O Globo

Minha Casa é alvo de mais de 300 inquéritos

Folha de S. Paulo

Para brasileiros, corrupção é o maior problema do país

O Popular

EUA, China e mais 18 países aumentarão investimentos em energias limpas

Diário da Manhã

A cura da aids pode começar pelo alcoolismo – medicamento usado para tratar viciados em álcool teria propriedades para identificar o vírus HIV

——————————————————

TELEJORNAIS

TV Globo – Jornal Nacional

Ministério da Saúde confirma relação entre o Zika Vírus e a microcefalia

O Instituto Evandro Chagas fez exames em uma bebê nascida no Ceará com microcefalia e identificou nos tecidos e no sangue da bebê o vírus Zika. A partir do resultado desses exames, o Ministério da Saúde confirmou a relação entre o vírus e a microcefalia, e também reforçou a mensagem para que daqui para frente haja uma mobilização nacional contra o mosquito Aedes aegypti.

TV SBT – SBT Brasil

Presidenta Dilma Rousseff chega a Paris para COP21

TV Band – Jornal da Band

Ministro do Planejamento convoca reunião com equipe econômica

——————————————————

Por: Gustavo Vieria com agências

Share Button

Hoje na História…

hoje

1807
Entram em Lisboa as tropas francesas, ainda a tempo de ver no horizonte a frota que levava o príncipe regente D. João e a corta para o Brasil.
1958
A revista americana Aviation Week noticia que a URSS havia criado e já usava uma aeronave parcialmente movida a energia atômica.
1965
A Comissão de Desarmamento da Conferência da Casa Branca sobre a Cooperação Internacional propõe um pacto de não-agressão entre a OTAN e o Pacto de Varsóvia.
1967
Um terremoto abala diversas regiões da Iugoslávia e da Albânia, arrasando a cidade iugoslava de Debar.
1968
Encontrados pela Primeira Esquadrilha Aeroterrestre de Salvamento (Para-Sar), no Amazonas, os restos mortais da expedição do padre Calleri, massacrada pelos índios atroáris.
1978
Quase bicentenário, o diário britânico The Times deixa de circular porque sua direção e os sindicatos não chegaram a um acordo sobre a modernização das oficinas e a diminuição do pessoal.
1982
O presidente dos EUA, Ronald Reagan, inicia visita ao Brasil para reforçar as relações bilaterais e explorar novas possibilidades de cooperação.
1986
Um terremoto de 5,3 graus na escala Richter danifica centenas de prédios em João Câmara RN e deixa 5.000 desabrigados.
1993
A faixa de Gaza, ocupada por Israel e no qual seria implantada a autonomia palestina, vive a maior explosão de violência desde 1987.
1998
Representantes de 150 países iniciam em Dacar, capital do Senegal, a II Cúpula Mundial sobre Desertificação.
2002
Lula é figura do ano em Portugal. Estavam na disputa o papa João Paulo II e o primeiro-ministro de Israel, Ariel Sharon. O argumento para a vitória de Lula foi de que sua eleição significou uma revolução para o Brasil.
2003
A seleção brasileira masculina de vôlei conquista título mundial. A equipe garantiu vaga para os Jogos Olímpicos de Atenas, em 2004.
Share Button