7:14 am

Começando bem…

Share Button

Dia de Campo em Pires do Rio celebra proteção de nascentes

Abraço à nascente do Laranjal celebra dia de Campo

Abraço à nascente do Laranjal celebra dia de Campo

Pires do Rio – Foi realizado na última semana, na Fazenda Laranjal, em Pires do Rio, Dia de Campo do Projeto Ser Natureza para apresentação da primeira etapa de recuperação da microbacia do Córrego Laranjal. Prestigiado pela alta direção do Ministério Público, com a presença do chefe de Gabinete da Procuradoria-Geral de Justiça, Jales Guedes Coelho Mendonça; o coordenador do Centro de Apoio Operacional do Meio Ambiente, Delson Leone Júnior, e o promotor de Justiça Fabrício Roriz Hipólito, o evento festivo reuniu proprietários rurais, parceiros do projeto e convidados.

No município, o projeto foi iniciado oficialmente em março deste ano. Com cerca de dez reuniões de planejamento, a comunidade celebrou a concretização do trabalho que, nesta primeira etapa, foi de cercamento e plantio nas áreas de proteção permanente de 17 nascentes, em 10 propriedades rurais, sendo prevista para o próximo ano a realização das práticas de conservação de solo.

Para a realização do Dia de Campo, a prefeitura entrou com a infraestrutura para receber os convidados e guarnição para o churrasco, cuja carne foi oferecida pelo anfitrião e dono da Fazenda Laranjal, Ordeval Júnior. Equipamento de som e cerimonial couberam ao Ministério Público e água tratada, à Saneago. Um dia antes do evento, parte das 2 mil mudas doadas pela Secima e 150 fruteiras do Cerrado, doadas pela Emater, foi plantada por alunos da rede municipal de ensino que, com orientação da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente e da Emater, realizaram a prévia do plantio que vai contemplar os projetos de recuperação da flora local.

Ser Natureza, o protagonista
Para a recuperação da microbacia do Córrego Laranjal, muitas foram as pessoas e instituições importantes para que os planejamentos saíssem do papel. No Dia de Campo, o protagonista foi o próprio projeto Ser Natureza, nas palavras e sentimentos daqueles que o desenvolvem no município de Pires do Rio.

O promotor de Justiça Fabrício Roriz Hipólito conta como foi para ele essa história: “Esse sonho começou em 2015, quando fui procurado pelo diretor da UEG de Pires do Rio, Enival Mamed, para a retomada de uma proposta de proteção do manancial de abastecimento”. Assim, o promotor, ciente de que o MP possui projeto exitoso na área, inscreveu o ingresso da comarca no Ser Natureza em 2015, e, em 2016, o projeto foi apresentado aos parceiros, incluindo o município e o IFG, que mostrou seu plano de ações para auxiliar os proprietários rurais, obtendo, assim, o apoio do professor Gilson Dourado, do IF Goiano de Urutai. Foi um trabalho de persistência e, em março deste ano, conseguimos formalizar a adesão da administração municipal, e consolidar um grupo de trabalho extremamente técnico”, reforçou.

Em Pires do Rio, o grupo de trabalho a que se refere o promotor conta com a participação da equipe do MP local; o apoio do Centro de Apoio Operacional do Meio Ambiente, onde está ancorado o Ser Natureza; da assessoria da Caej; da Emater, em suas diversas instâncias – desde a unidade de Pires do Rio, à Unidade Regional e um grande grupo de especialistas da unidade central; da prefeitura, do Instituto Federal Goiano, Saneago, Secima, e dos produtores de microbacia do Córrego Laranjal.

Esse projeto envolve, nesta primeira etapa, 10 proprietários rurais em cujas fazendas estão 17 das nascentes mapeadas do Córrego Laranjal. São eles: Agostinho Francisco da Silva, Anquizes Caetano de Rezende, Darci Paes de Oliveira, Jerônimo Vaz, Humberto Jorge dos Santos, José Mariano Contart, Maria Inês de Rezende, Ricardo Spíndola Paes e Sebastião Paes, Rubens Fernandes e o anfitrião do evento, Ordeval Paiva Júnior.

Sobre o Ser Natureza, a prefeita da cidade, Cleide Veloso Costa, pontuou: “A proteção de nascentes estava em nosso plano de governo e, quando o promotor apresentou o projeto, ficamos boquiabertos, pois era tudo o que nós queríamos. Os estudos estavam praticamente prontos e a participação mobilizada pelo promotor, que é um orgulho para o nosso município”.

O proprietário rural Ordeval não escondeu a sua primeira impressão. “Fui lá Ministério Público, cheguei a tremer com o chamado do promotor, mas foi a partir do diálogo que ele me convenceu. Soube fazer a cabeça do produtor para unir todo mundo e fazer um trabalho (de recuperação ambiental) bem feito. Eu logo disse a ele que a primeira nascente eu mesmo ia fechar ‘por minha conta’. Ordeval cercou suas nascentes em extensão, inclusive, maior do que a legislação exige. Hoje é um entusiasta do projeto e doou à prefeitura um alqueire de terra, onde será instalado, nas imediações da cidade, o Parque Ecológico de Pires do Rio.

Gilson Dourado reconhece o trabalho do MP e e que ele foi fundamental para ver já hoje os frutos dessa semente que foi lançada. “Essa iniciativa vai ficar na história de Pires do Rio”, salientou, colocando à disposição todo o corpo docente e discente para as ações de preservação e de educação ambiental, estas últimas que também integram um dos eixos do projeto Ser Natureza e que contam com apoio irrestrito do promotor e de todo o grupo de trabalho.
“Como é bonito ver Pires do Rio animada, os produtores em harmonia e o trabalho com as crianças que vieram aqui plantar as primeiras mudas”, afirmou Patrícia Pimentel, que representou a Direção de Produção da Saneago no Dia de Campo.

Apoio institucional ao Ser Natureza
O chefe de Gabinete da Procuradoria-Geral de Justiça, Jales Guedes Coelho Mendonça, e o coordenador do Centro de Apoio Operacional do Meio Ambiente (Caoma), Delson Leone Júnior, não são, em absoluto, estranhos ao Projeto Ser Natureza. O primeiro foi coordenador do Caoma, entre março 2012 e março de 2013, e relatou ter contribuído pela permanência do projeto no âmbito da instituição. Como historiador, lembrou aos presentes um pouco da trajetória da cidade que hoje leva o nome do ministro Pires do Rio, homem que, em 1922, esteve empenhado pelas obras da linha do trem de ferro que trouxe progresso à toda região. Mas, estando à frente do Caoma, pontuou que, em 2011, defendeu o Ser Natureza como projeto do MP que deveria ser conservado e ampliado. O segundo, Delson Leone, atual coordenador do Caoma, tem orgulho de ser um dos precursores do projeto. “Ainda em 2008, quando o Ser Natureza nasceu, eu fui um dos pioneiros em Caldas Novas. Uma experiência na área de educação ambiental muito gratificante, pois nos aproxima da comunidade como nunca visto e, até hoje, sou reconhecido pelos moradores”.

O apoio institucional é uma necessidade para o promotor de ponta e para os parceiros que o MP angaria. Fabrício Hipólito não mediu elogios à equipe assessora. “Esse é um trabalho lindo, de parceria, a partir de uma visão coletiva, e tive a honra de aprender muito com o grupo de trabalho e ter essa interlocução, contando com o apoio jurídico do Caoma, por meio da assessora Gabriela Parrode, e da Caej, com as técnicas Adriane Chagas e Maria José Soares, sem deixar de destacar o importante apoio da Emater.

Leo Lince do Carmo, engenheiro florestal da Emater, que acompanha o Ser Natureza desde o seu início, e como representante de instituição irmã do MP nesse projeto de proteção ambiental, enfatiza: “Esse é um trabalho bonito demais, esse pessoal da área técnica do MP cativa e essa instituição coordena atualmente uma grande mobilização em Itauçu, em Goiás e em outros municípios que estão consolidados, como o de Sanclerlândia. Na verdade, o Ser Natureza harmoniza”. Leo Lince é o técnico reconhecidamente fundamental para esses êxitos, tanto que o coordenador da Emater da Estrada de Ferro, Carlos Mariano, reafirmou a participação do especialista na iniciativa. “Queremos muita saúde para esse homem que consegue colocar de volta a água que tanto precisamos. É uma alegria participar desse projeto em Pires do Rio e queremos levá-lo para muitas outras cidades”.

Planejamento técnico
Leo Lince do Carmo, da Supervisão de Meio Ambiente da Emater, apresentou aos participantes do Dia de Campo o que foi planejado tecnicamente para a gestão de solo e água na microbacia do Córrego Laranjal. Desde a caracterização da microbacia hidrográfica, o atual uso e cobertura do solo,até os serviços ambientais a serem desenvolvidos nas áreas onde se encontram as nascentes em recuperação.

Individualmente, os planejamentos contemplaram as necessidades de cada propriedade. Métodos de plantio, orçamentos, cálculos de recomposição e de cercamento e custos que estão sendo arcados pelas parcerias formadas. Estima-se que, até meados de junho do próximo ano, as práticas conservacionistas estejam prontas. Atualmente, o cercamento das nascentes e replantio já estão sendo feitos, aproveitando o tempo das águas e, na sequência, seguem as práticas de conservação de solo, já devidamente detalhada nos projetos individuais.

O superintendente de Fiscalização e Gestão Ambiental Matheus Rocha, que integra o grupo de trabalho, apresentou um histórico de toda a construção do projeto em Pires do Rio. O Ser Natureza contou, desde seu início, no município, com apoio irrestrito do secretário de Agricultura e Meio Ambiente, Jayme Jhunner e Souza.

Homenagens
Ao final das atividades, todos os dez produtores rurais que integram a primeira etapa do projeto receberam certificados que conferiram a participação no Ser Natureza, agradecendo-os ainda pela importante parceria. Receberam pessoalmente a homenagem Agostinho Francisco da Silva, Jerônimo Vaz, Maria Inês de Rezende, Ordeval Monteiro de Paiva e Rubens Fernandes.

Também foram homenageados os representantes das entidades parceiras – Emater, IF Goiano, Secretaria Municipal de Meio Ambiente e prefeitura. Por fim, receberam o diploma os membros do Grupo de Trabalho do Ser Natureza: promotor Fabrício Roriz Hipólito, o gerente da Saneago Éder Rezende Martins; o técnico da Unidade Emater de Pires do Rio, Luzimar Rosa Xavier; o superintendente de Fiscalização e Gestão Ambiental, Matheus Rocha; a vereadora Lorena de Castro e o técnico Leo Lince do Carmo, do Escritório Central da Emater.

Todos os certificados foram chancelados pelo Ministério Público de Goiás e assinados pelo procurador-geral de Justiça, Benedito Torres Neto; o subprocurador-geral de Justiça para Assuntos Institucionais, Aylton Flávio Vechi; o coordenador do Caoma, Delson Leone Júnior e o promotor de Justiça Fabrício Roriz Hipólito.

Evento atrai outros municípios
O Dia de Campo em Pires do Rio recebeu a presença de uma extensa lista de autoridades de cidades vizinhas. Entre elas, o vice-prefeito de Rio Quente e a secretária de Meio Ambiente do município, Neilton Divino e Dayane Amorim; o tenente Cunha, representando o Comando do Corpo de Bombeiros de Pires do Rio; o ex-prefeito de Urutaí e diretor substituto do IF Goiano, Nelson Donizete; vereadores de Pires do Rio, técnicos da Saneago de Ouvidor, e uma equipe representativa da Emater – de Pires do Rio, Marzagão, Silvânia, Cristianópolis, Rio Quente, Nova Aurora, Corumbaíba, Goiandira e Escritório Central de Goiânia, e ainda profissionais de Orizona, Santa Cruz, entre outros. (Texto: Cristiani Honório _ Fotos: João Sérgio / Assessoria de Comunicação Social do MP-GO – Imagem aérea: Saneago)

Share Button

Alô Ouvidor? Mais uma Moradora revoltada com o prefeito Onofre Galdino (PMDB)

Gente boa do Blog, em Ouvidor, moradora se revolta com o descaso da Prefeitura que não arruma o asfalto nem o  escoamento das águas fluviais e manda ver com a bandeira do PMDB.

Detalhe, é uma eleitora do partido na cidade.2017-12-11-PHOTO-00004153 2017-12-11-PHOTO-00004154 2017-12-11-PHOTO-00004155 2017-12-11-PHOTO-00004156 2017-12-11-PHOTO-00004157

Share Button

Atentado contra o radialista Ricardo Nogueira

Gente boa do Blog, aconteceu na madrugada da última sexta-feira (8) um atentado contra o radialista Ricardo Nogueira, do Programa “Nosso Programa” que vai ao ar pela rádio Sucesso aos sábados às 10:00 horas da manhã.

Uma coisa é fato, em Catalão as insinuações acontecem dos dois lados políticos, um acusando o outro de ter cometido o atentado ou de ter armado o mesmo.

O interessante é que até agora nada foi desvendado, um prefeito já foi  morto e não se sabe quem encomendou a morte, tiros foram disparados dentro ou no rumo do gabinete do prefeito, incêndios na SAE, agressão física contra o radialista Cláudio Lima e ninguém foi punido ou descoberto que organizou, mandou ou agrediu.

Para relembrar outros fatos ocorridos em Catalão:

Atentado contra o prefeito Jardel Sebba.

Atentado contra o radialista Cláudio Lima.

Atentado contra o candidato a deputado estadual Rodrigão. 

Será que em pleno século XXI, com todas os avanços técnicos não é mesmo possível descobrir autores e mandantes?

Catalão continuará a viver sobre o manto dos coronéis?

1

2 3 4

Fotos: Redes Sociais.

Share Button

Justiça determina que Câmara de Vereadores de Catalão restabeleça os salários dos efetivos

Gente boa do Blog, vem aí mais problemas para o presidente da Câmara, Deusmar Barbosa (PMDB).

Os servidores efetivos da Câmara Municipal de Vereadores entraram com uma ação no Ministério Público, onde pediram o restabelecimento de suas remunerações, ausentado, para tanto, máculas na Lei 3.509/2017 que indevidamente suprimiu direitos destes servidores e ao qual votamos contra.

Na tarde de ontem, o Tribunal de Justiça decidiu com uma liminar que o presidente da Câmara, Deusmar Barbosa, deve restabelecer o salário dos efetivos.

Confira abaixo decisão:

1 2 3

Share Button

Acontece…

ueg

Share Button

Justiça Eleitoral torna inelegível por 8 anos o ex-prefeito do Rio Eduardo Paes

Resultado de imagem para eduardo paes

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RJ) condenou, por unanimidade, na sessão de hoje (11), o ex-prefeito do Rio Eduardo Paes (PMDB) e o deputado federal Pedro Paulo Carvalho (PMDB), que concorreu à prefeitura do Rio no ano passado, por abuso de poder político-econômico e conduta vedada a agente público, devido ao uso do Plano Estratégico Visão Rio 500, contratado e custeado pelo município, como plano de governo na campanha eleitoral de 2016.

Em nota, a assessoria do tribunal informou que, com a decisão, os dois políticos ficam inelegíveis por oito anos e deverão pagar, cada um, multa de 100 mil Ufirs (cerca de R$ 106,4 mil). Os dois ainda podem recorrer da decisão ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

De acordo com o relator do processo, desembargador eleitoral Antônio Aurélio Abi-Ramia Duarte, houve desvio de finalidade na contratação, pela prefeitura, da consultoria que produziu o Plano Estratégico Visão Rio 500.

“A gravidade das circunstâncias encontra-se demonstrada por intermédio da estreita correlação entre a contratação e elaboração do plano Visão Rio 500, sob a coordenação do investigado Pedro Paulo, com a anuência do investigado Eduardo Paes, e a posterior utilização de tudo o que foi produzido na campanha eleitoral dos investigados”, disse o relator na decisão.

O magistrado disse, ainda, que Eduardo Paes e Pedro Paulo, que era secretário municipal, são “políticos experientes e que ocupavam, à época dos fatos, posições importantes na administração municipal. A repercussão econômica social e eleitoral do ato praticado, bem como a gravidade das circunstâncias e a confusão patrimonial entre o que foi custeado pelo Poder Público e o arrecadado e despendido na campanha eleitoral evidencia culpabilidade de alto grau, a permitir a fixação da sanção pecuniária no máximo previsto na legislação”.

Ajuizada pela coligação Mudar é Possível (PSOL/PCB), a ação havia sido julgada improcedente pelo Juízo da 176ª Zona Eleitoral quanto às acusações relativas a Paes e Pedro Paulo. A candidata a vice-prefeita na chapa de Pedro Paulo, Maria Aparecida Campos Strauss, também figurava como investigada no processo, mas em relação a ela, a sentença de primeiro grau julgou extinto o processo, sem resolução do mérito, decisão mantida nesta segunda-feira pelo plenário do TRE-RJ.

Em nota, a defesa dos dois políticos informou que Eduardo Paes e Pedro Paulo receberam com respeito, mas com surpresa, a decisão do TRE, pois a sentenção proferida pelo juiz eleitoral e os pareceres do Ministério Público foram a favor da absolvição de ambos.

A nota diz ainda “que o Plano Estratégico sempre foi documento da prefeitura do Rio, pertence à cidade, é de domínio público e sempre esteve acessível a qualquer candidato. Eduardo Paes e Padro Paulo irão recorrer ao próprio TRE e, se necessário, ao TSE, confiando em um julgamento justo e equilibrado”.

Agência Brasil

 

Share Button

Construção civil recua 6% e demite 105 mil em 2017

 

 

De acordo com a CBIC, a construção civil, que hoje representa cerca de 7,3% do Produto Interno Bruto (PIB), terá um impacto negativo de 0,5% na economia este ano. “Se não tivéssemos andado para trás, o PIB [nacional] neste ano seria de 1,2% e 1,3%”, disse o presidente da CBIC, José Carlos Martins,

No mercado imobiliário, no terceiro trimestre, as vendas de imóveis caíram 5,1% e os lançamentos diminuíram 11% em comparação com o segundo trimestre deste ano.

Para Martins, um dos principais motivos da retração foi a queda do aporte de investimentos públicos.

Os investimentos do governo federal atingiram em 2017 os menores valores dos últimos dez anos em termos reais. O Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), principal programa federal de investimentos, de janeiro a outubro, sofreu uma redução de 40,9% se comparado com o mesmo período do ano anterior. Já o Minha Casa, Minha Vida sofreu um recuo de 61,4%.

Para Martins, um dos principais pontos é destravar o crédito na Caixa, principal banco que financia a habitação no país. O crédito hoje está bloqueado pela necessidade de capitalização para enquadrar-se nas regras prudenciais da Basileia. Segundo Martins, o compromisso do Senado é avaliar a questão esta semana.

O dirigente citou também a demora na contratação dos empreendimentos do  Minha Casa Minha Vida. Segundo Martins, das 20.000 unidades autorizadas em junho, só foram contratadas 1.000 até agora.

Na semana passada, ele reuniu-se com o presidente Michel Temer e sugeriu que, nas seleções dos empreendimentos para o programa, sejam priorizados os projetos que já estão prontos.

Ainda em relação a financiamentos, Martins atacou estudos em curso no Banco Central para mexer no direcionamento dos recursos da caderneta de poupança para o setor imobiliário.

“Está totalmente errado”, afirmou. Se isso for feito, alertou, os bancos optarão por financiar empreendimentos “na Berrini”, mas não haverá recursos para cidades menores.

“O maior problema é ter só três bancos privados”, disse. Ele contou ter falado com Temer sobre a “concentração absurda” no mercado financeiro brasileiro.

Portal Vermelho

Share Button

Enem para presos e segunda aplicação começam hoje

presas, detentas

As provas serão aplicadas durante dois dias em mais de mil unidades prisionais do país –Arquivo/Agência Brasil

Cerca de 32 mil pessoas privadas de liberdade farão hoje (12) e amanhã (13) as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em mais de mil unidades prisionais de 577 municípios. Também será realizado hoje e amanhã o Enem para os participantes que tiveram direito a uma segunda aplicação do exame.

O Enem para Pessoas Privadas de Liberdade (Enem PPL) é destinado a pessoas submetidas a penas privativas de liberdade e jovens sob medida socioeducativa que inclua privação de liberdade. Os participantes com mais de 18 anos poderão utilizar o desempenho como mecanismo para acesso à educação superior. Já os menores de 18 anos, considerados “treineiros”, só poderão utilizar os seus resultados individuais para a autoavaliação de conhecimentos.

No Distrito Federal, a preparação dos presos para o Enem é focada principalmente na redação. “Observamos que os estudantes do sistema prisional têm muita dificuldade na prova de redação. Por isso, preparamos alguns aulões muito semelhantes aos que são oferecidos aos estudantes externamente, inclusive com professores que trabalham no Enem externo e têm muita experiência com a questão da redação”, explica Wagdo Silva, diretor do Centro Educacional 01 de Brasília, que é a escola responsável pela educação do sistema prisional do Distrito Federal. Os alunos também recebem materiais, como apostilas com o conteúdo para estudo.

No dia da aplicação da prova, todos os professores são convocados para ajudar na aplicação do exame. As provas são realizadas nos núcleos de ensino que ficam dentro das unidades prisionais. Os agentes penitenciários ficam do lado de fora das salas de aula fazendo a segurança. Segundo Silva, a aplicação das provas costuma ser tranquila. “Eu trabalho há 15 anos no sistema prisional como professor e nunca vi relato de um problema sequer na aplicação das provas”, diz.

Para ele, a aplicação do Enem é fundamental para os presos. “A sociedade não tem conhecimento do quanto esses exames são importantes para as pessoas que estão apenadas. É um ponto de partida para essas pessoas porque antes elas não tinham essa possibilidade. Nos últimos anos, há uma quantidade enorme de alunos que chegaram às universidades por meio do Enem”, acrescenta Silva.

Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), mais de 197 mil pessoas presas e jovens sob medida socioeducativa já participaram do exame entre 2011 e 2016. O Enem PPL é uma iniciativa do Inep, em parceria com o Departamento Penitenciário Nacional do Ministério da Justiça e Cidadania (Depen/MJC) e com a Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente.

Segunda aplicação

O Enem para os participantes que tiveram direito a uma segunda aplicação do exame também começa hoje. O Inep estima a participação de 3.606 inscritos, que prestarão os exames em 34 locais de 27 municípios.

Entre os motivos para a segunda aplicação estão a interrupção do fornecimento de luz, que afetou 3.574 participantes de nove locais, em Olinda (PE), Teresina (PI) e Uruaçu (GO). Outros cinco casos são de atendimentos a demandas judiciais e 27 resultam de deferimentos da Comissão de Demandas para atender a participantes que tiveram problemas diversos.

Encceja

Nos dias 19 e 20 de dezembro serão realizadas as provas do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos para Pessoas Privadas de Liberdade e jovens sob medida socioeducativa que inclua privação de liberdade (Encceja Nacional PPL). Segundo o Depen, mais de 74 mil presos vão prestar o exame.

Agência Brasil

Share Button

Na OMC, Temer repete discurso enganoso sobre economia

Agência Brasil

 

“O Brasil de hoje deixou para trás a recessão, nossa economia se recupera, cria postos de trabalho e a produção industrial tem crescido. As taxas de juros recuaram a seu menor patamar histórico, a inflação é a mais baixa de muitos anos seguidos”, disse Temer, ignorando o fato de que o desempenho do produto Interno Bruto (PIB) dos últimos trimestres se encontra, na verdade, em trajetória declinante.

Os números indicam muito mais uma estagnação – em um patamar muito rebaixado –, que uma recuperação sustentada. O primeiro trimestre de 2017, o país cresceu 1,3%, no segundo, 0,7% e, no terceiro, um irrisório 0,1%.

Os dados também mostram que a formação bruta de capital fixo, indicador que mede os investimentos feitos na produção, foi de menos 3,6% no acumulado do ano, e o consumo do Governo no acumulado do ano também é negativo, com queda de 0,6 no ano. Difícil acreditar que, sem investimentos, haverá crescimento.

Quanto à criação de postos de trabalho alardeada pelo governo, vale lembrar que o país ainda possui 12,7 milhões de desempregados, com uma taxa de desemprego de 12,2%. E pior: de acordo com o próprio IBGE, os empregos criados este ano foram informais. No setor privado, quase 100% das vagas abertas foram na informalidade, o que significa dizer que os empregos que estão sendo gerados são precarizados.

E, numa lógica inversa à que está presente no discurso fiscalista da própria gestão Temer, os empregos sem carteira assinada dificilmente contribuirão para a Previdência, desequilibrando ainda mais as contas da União.

Sem ocupação ou com empregos instáveis e precários, os trabalhadores têm segurado os gastos, fazendo com que o consumo das famílias, responsável por cerca de 60% do PIB, continue baixo. No acumulado do ano, a indústria teve crescimento negativo de 0,9%, e os serviços recuaram em 0,2%.

Sim, é verdade que os juros caíram, mas os juros reais brasileiros, descontada a inflação, continuam sendo dos maiores do mundo. E, sem o fomento de investimentos públicos ou privados, a redução não se reflete na economia real. Além de que, com o spread nas alturas, os lucros bancários são altos, mas o investimento produtivo e mesmo o crédito para as famílias acaba sendo custoso.

A inflação, de fato, também está baixa – até demais. Corre o risco de o Banco Central precisar explicar porque não conseguiu cumprir as metas de inflação, não porque os preços subiram muito, mas porque estão abaixo da margem de tolerância, indicando perda de vitalidade da economia. Afinal, sem demanda, os preços só podem despencar.

Em sua fala na OMC, Temer fez críticas ao protecionismo e defendeu a globalização, o multilateralismo e papel da Organização Mundial do Comércio. “Comércio e investimentos geram crescimento, emprego e prosperidade. A história nos ensinou que isolamento não é solução. É ilusório pensar que o protecionismo pode trazer desenvolvimento. O que de fato traz desenvolvimento é mais e mais integração. É em nome de mais integração que defendemos a OMC”, disse.

Ainda no campo das falácias, Temer disse que o Brasil tem uma “ambiciosa” agenda de crescimento e, por isso, pretende se envolver cada vez mais na cadeia de negócios internacional. Na prática, a tal agenda de reformas do governo tem servido apenas ao desmonte do Estado brasileiro e ao achatamento dos direitos dos trabalhadores. Retomada consistente da atividade, por enquanto, não se avista.

Do Portal Vermelho

 

Share Button