Frase do Dia…

Destacado

- “Essa mão é sua vereador?”

- “Tudo mostra que sim”.

Radialista Cláudio Lima perguntando ao vereador Daniel Vai-Vem (PMDB) se a filmagem de uma mão recebendo dinheiro supostamente de propina era dele

Share Button

Devolvendo dinheiro…

ueliton rosa

Gente boa do Blog, o atual presidente da Câmara Municipal de Vereadores de Ouvidor, Ueliton Rosa, encerrará o mandato tendo devolvido aos cofres da Prefeitura R$300.000,00 reais, dinheiro que foi utilizado pela Prefeitura Municipal para a aquisição de ambulância, reforma de praça e cobertura de quadra poliesportiva no setor Vila Nova.

O atual presidente segue o que está virando tradição no legislativo ouvidorense, a devolução de dinheiro para que a prefeitura invista em benefícios para a cidade.

Share Button

Definido…

luis - balbino

Gente boa do Blog, definido o nome do próximo presidente da Câmara Municipal de Vereadores de Ouvidor, é o vereador Luis Balbino do PT, terá como vice o vereador do PMDB Heleno Borges, 1º secretário Ciro Borges (PSC) e 2º secretário Wison Junior (PSDB).

Como em Ouvidor o mandato é de um ano e desde o primeiro dia de mandato houve um acordo entre os vereadores da situação, Luis Balbino tem garantido os cinco votos necessários para a sua eleição, mas certamente terá os nove como ocorreu na última eleição para presidência da casa.

Share Button

Alô eleitores catalanos?

gif

Gente boa do Blog, estamos fazendo um levantamento sobre a produtividade dos vereadores nesse ano que se encerra em breve, por incrível que pareça, tem parlamentar que chegará ao ano sem a a presentação de um requerimento sequer, de um projeto de lei  ou pedido de projeto de resolução, pode?

Ou seja, se o papel do vereador essencialmente é legislar e fiscalizar o que ele s estão fazendo mesmo?

Share Button

Entrando dinheiro…

gif

Gente boa do Blog, os cofres da Câmara Municipal de Vereadores de Catalão estão abarrotados de dinheiro, é que o duodécimo da Casa (parte que é de direito do legislativo municipal) entrou ontem, algo em torno de R$ 1,25 milhões de reais o que com certeza deve ser um dos motivos do acirramento da disputa para  a presidência.

Ser presidente do legislativo catalano é bem melhor que ser prefeito de cidades como Goiandira, Cumari, Anhanguera, Três Ranchos, Davinópolis, Campo Alegre, cidades em que a arrecadação é baixa,  a folha de pagamento é alta e acaba não sobrando quase  nada para investimentos.

Já na Câmara de Vereadores de Catalão, são poucos funcionários comparando com as prefeituras, poucos problemas administrativos e dinheiro não falta, pelo contrário, tem sobrado.

Será que o presidente Deusmar Barbosa (PMDB) caso perca mesmo a disputa deixará dinheiro em caixa para seu sucessor?

Share Button

Dilma começa a formar os ministérios

Dilma escolhe Armando Monteiro para ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio

O senador Armando Monteiro (PTB-PE) que  se reuniu nesta sexta-feira (21) com a presidente Dilma e o ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, no Palácio da Alvorada em Brasília, é o novo ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio

O nome de Monteiro  foi escolhido para o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), por ser ex-presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Publicado originalmente no Blog Amigos do Presidente
Share Button

Bom bom demais…

Share Button

Denunciando…

Operação Tarja Preta: denunciadas mais 23 pessoas

Material apreendido na operação, deflagrada em outubro do ano passado

Material apreendido na operação, deflagrada em outubro do ano passado

O Ministério Público de Goiás ofereceu mais uma denúncia criminal no Tribunal de Justiça, como desdobramento da Operação Tarja Preta que desmontou, no final do ano passado, um esquema de venda fraudada e superfaturada de medicamentos e equipamentos hospitalares e odontológicos para diversas prefeituras no Estado.

Desta vez, foram denunciadas 23 pessoas pelos crimes de corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro, inobservância das regras financeiras, dispensa indevida de licitação e fraude de licitação em Aragarças (clique aqui para a relação de denunciados e respectivos crimes).

Os denunciados são o prefeito de Aragarças, Aurélio Mauro Mendes; o procurador-geral de Barra do Garças, Emerson Ferreira Coelho Souza; os secretários de Agricultura e de Saúde de Aragarças, José Carlos Martins Leão e Alex Almeida Leão; a ex-servidora de Aragarças Ilca Maria Granja; a servidora do Setor de Licitação de Aragarças, Suelen Freire de Almeida, e a pregoeira de Aragarças, Daiane Cristina de Oliveira Rohden.

O MP denunciou também os membros da Comissão Permanente de Licitação de Aragarças, Jaime Gomes da Silva, Jarbas Alves de Brito, Jair Lopes da Silva e Flávio Ferreira Coelho Souza; a ex- assistente jurídica do município, Cássia Carmo Farias, e a ex-chefe da Controladoria Interna, Maria Felizarda Ferreira Cabra.

Por fim, foram denunciados o administrador e sócio oculto da J.Médica e Pró-Hospital, Edilberto César Borges; o sócio da Pró-Hospital, Edilberto César Borges Filho; os sócios da J. Médica, Jaciara Garcia Boges e Milton Machado Maia, o sócio da Ideal Hospitalar, Valderlei José Barbosa. Ainda, o representante da Ideal, Domingos Amorim da Silva; o representante da Única Dental, Joel Paulo de Lima; o gerente nacional de vendas da Stock Hospitalar, Wilson Lemos Ferreira, e os representantes e supervisor da Stock, Fernando Bueno Ferreira e Dilermando Gonçalves de Moraes Neto.

O esquema em Aragarças
O esquema criminoso orquestrado pelos empresários e outros denunciados revelado pela Operação Tarja Preta teve incidência em Aragarças, onde, logo após o início do mandato do prefeito em 2013, passou a funcionar com o chefe do Executivo municipal, secretários e servidores dos quadros da prefeitura.

A forma de funcionamento em Aragarças, a exemplo do que ocorreu em outras cidades, teve início com o aliciamento dos futuros agentes públicos – prefeito, secretários e outros – durante a campanha eleitoral de 2012.

Devidamente ajustados, com a posse do gestor ou servidor, com apoio dos demais membros da organização criminosa, as compras pelo município passaram a ser realizadas, num primeiro momento, de modo informal, sem qualquer controle por parte da administração, por meio do que se convencionou chamar de “vales”.

Posteriormente à compra dos produtos, eram forjados os respectivos procedimentos de licitação e de dispensa destes. Em seguida, visando garantir o fornecimento futuro dos produtos, seguiam-se as fraudes à licitação, intercalando, em todas as fases do plano, atos de corrupção ativa e passiva para manter o pagamento das propinas e compras dos medicamentos, garantindo, assim, o lucro exorbitante dos membros da organização criminosa.

A denúncia foi assinada pelo procurador-geral de Justiça, o coordenador da Procuradoria de Justiça Especializada em Crimes Praticados contra Prefeitos e os promotores de Justiça do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).

Segundo adiantam os membros do MP, com a finalização da transmissão e da análise das informações da quebra do sigilo bancário dos investigados, em breve serão oferecidas novas denúncias em relação aos demais municípios investigados na Operação Tarja Preta. (Texto: Cristiani Honório – Foto: João Sérgio/Assessoria de Comunicação Social do MP-GO)

Share Button

Quem quer dinheiro…

Envolvidos em esquema de compra de votos em 2012 em Goiatuba são condenados por crimes diversos

Esquema de compra de votos beneficiaria candidatos apoiados por ex-vereador

Esquema de compra de votos beneficiaria candidatos apoiados por ex-vereador

Após denúncias oferecidas pelo promotor de Justiça Adriano Godoy Firmino, a juíza Sabrina Rampazzo de Oliveira condenou os ex-vereadores de Goiatuba Sieber Marques Buzain, Genusvaldo Galdino de Araújo e Jubes Carlos Marques da Silva, e também Chirley Vieira Cassiano e Elmo Ferreira de Moura, por crimes praticados durante as eleições de 2012, conforme a participação de cada um em esquema para compra de votos.

Consta da denúncia que Buzain, na condição de “detentor de engenhosa engrenagem para a compra de votos”, montou junto com os demais o esquema que consistia na contratação de intermediadores que abordavam eleitores com o oferecimento de dinheiro, o que envolvia também, em muitos casos, o transporte dos eleitores no dia do pleito.

Na ocasião, Buzain chegou a ser preso em flagrante pela prática dos crimes de corrupção eleitoral e posse ilegal de armas e munições. Na sentença, a juíza informa que em relação a este crime houve o desmembramento, com o encaminhamento para a Justiça Comum estadual. A despeito da prisão, o esquema foi mantido pelos demais componentes do grupo.

A atuação do esquema era dividida em dois grupos distintos, ligados por operações conectadas – o grupo político, organizado e dirigido por Buzain, que colocou a máquina criminosa par funcionar de modo a beneficiar Jubes e Genusvaldo, com apoio de Elmo e Chirley, e o grupo operacional, formado pelos intermediadores na compra, oferecimento, promessa ou até mesmo doação de valores ou de benesses em troca de votos dos eleitores, além do transporte para fazer funcionar o esquema no dia da eleição.

Condenações
Sieber Marques Buzain – Condenado por corrupção eleitoral, por crime eleitoral pelo transporte de eleitores; por formação de quadrilha ou bando. Diante do concurso material de crimes, a pena final pelos crimes cometidos foi fixada em 10 anos, 6 meses e 20 dias de reclusão e 314 dias-multa.

Genusvaldo Galdino de Araújo – Condenado por crime eleitoral pelo transporte de eleitores, formação de quadrilha ou bando e também por ter dado, oferecido, prometido, solicitado ou recebido, para si ou para outrem, dinheiro, dádiva, ou qualquer outra vantagem, para obter ou dar voto e para conseguir ou prometer abstenção, ainda que a oferta não tenha sido aceita, de forma continuada. Diante do concurso material de crimes, a pena final pelos crimes cometidos foi fixada em 7 anos, 4 meses e 20 dias de reclusão, além de 228 dias-multa.

Chirley Vieira Cassiano – Condenada por crime eleitoral pelo transporte de eleitores, por formação de quadrilha ou bando e ainda por ter dado, oferecido, prometido, solicitado ou recebido, para si ou para outrem, dinheiro, dádiva, ou qualquer outra vantagem, para obter ou dar voto e para conseguir ou prometer abstenção, ainda que a oferta não tenha sido aceita, de forma continuada. Diante do concurso material de crimes, a pena final pelos crimes cometidos foi fixada em 8 anos e 1 mês de reclusão, além de 251 dias-multa.

Elmo Ferreira de Moura – Condenado por formação de quadrilha ou bando e por ter dado, oferecido, prometido, solicitado ou recebido, para si ou para outrem, dinheiro, dádiva, ou qualquer outra vantagem, para obter ou dar voto e para conseguir ou prometer abstenção, ainda que a oferta não tenha sido aceita, de forma continuada. Diante do concurso material de crimes, a pena final pelos crimes cometidos foi fixada em 2 anos e 6 meses e 10 dias de reclusão, além de 7 dias-multa, mas convertida na prestação de serviços à comunidade pelo prazo total da pena, à razão de 7 horas semanais – uma hora para cada dia de condenação, a ser cumprida na entidade a ser designada, e na prestação pecuniária de 10 salários mínimos.

Jubes Carlos Marques da Silva – Condenado por formação de quadrilha ou bando e por ter dado, oferecido, prometido, solicitado ou recebido, para si ou para outrem, dinheiro, dádiva, ou qualquer outra vantagem, para obter ou dar voto e para conseguir ou prometer abstenção, ainda que a oferta não tenha sido aceita, de forma continuada. Diante do concurso material de crimes, a pena final pelos crimes cometidos foi fixada em 2 anos e 6 meses e 10 dias de reclusão, além de 8 dias-multa, mas convertida na prestação de serviços à comunidade pelo prazo total da pena, à razão de 7 horas semanais – uma hora para cada dia de condenação, a ser cumprida na entidade a ser designada, na prestação pecuniária de 10 salários mínimos.

Outras penalidades
A juíza determinou a perda, em favor da União, do valor de R$ 141.934,00 apreendido durante as eleições, pois ficou comprovado que o dinheiro era usado pelos réus para financiamento do esquema de corrupção eleitoral. Aparelhos notebook e celulares também tiveram seu perdimento decretado a favor do poder público. Foi determinada, por fim, a perda do mandado eletivo Genusvaldo de Araújo. (Cristiani Honório / Assessoria de Comunicação Social do MP-GO)

Share Button

Polícia Militar de Goiás…

Oferecida denúncia contra policiais militares que agrediram motorista do MP-GO

Agressão ocorreu no estacionamento do estádio Serra Dourada

Agressão ocorreu no estacionamento do estádio Serra Dourada

O Ministério Público de Goiás propôs medidas judiciais contra os policiais militares Márcio Geraldo da Silva e Abelário Gonçalves Oliveira Júnior em razão da agressão ao motorista do MP-GO Eduardo Barbosa Vilas Boas Neves. O fato ocorreu no dia 18 de setembro, por volta das 22 horas, no estacionamento do Estádio Serra Dourada, em Goiânia.

A denúncia pela prática de crime de lesão corporal foi oferecida perante a Vara Militar do Estado de Goiás e as providências penais decorrentes da prática de crime de abuso de autoridade foram adotadas perante o 1º Juizado Especial Criminal da capital. Assinam as medidas os promotores do Grupo de Controle Externo da Atividade Policial (GCEAP), Mário Henrique Cardoso Caixeta, Giuliano da Silva Lima e Paulo Eduardo Penna Prado, e a promotora Adrianni F. F. S. Almeida, da Auditoria Militar.

Conforme detalhado no procedimento de investigação criminal, o motorista do Ministério Público transportou promotores de Justiça até o estádio, local onde funciona o Juizado do Torcedor, já que naquela noite ocorria uma partida de futebol entre Goiás e Atlético Mineiro e os promotores atuariam no Juizado.

Eduardo, que dirigia um veículo tipo van, devidamente caracterizado com o logotipo do MP-GO, estava estacionado em vaga própria, previamente designada pelo Comando de Policiamento de Eventos da PM-GO, e permaneceu em seu interior até o encerramento da partida de futebol.

Encerrado o jogo, o ônibus que transportava a delegação do time do Atlético Mineiro iria deixar o estádio, mas o espaço para o tráfego deste veículo era estreito, entretanto, suficiente para a passagem. Nesse momento, o sargento Márcio da Silva determinou, rispidamente, que Eduardo tirasse a van do local.

No entanto, o motorista argumentou que a van estava corretamente estacionada e que o ônibus da delegação mineira é que deveria deixar o local. Ele acrescentou ainda que não poderia tirar o veículo, pois estava aguardando os promotores de Justiça, que logo chegariam.

Assim, de acordo com a denúncia, insatisfeito com os argumentos de Eduardo, o sargento Márcio passou a lhe exigir os documentos, embora ele estivesse identificado por crachá da instituição. Com o não atendimento das ordens, o sargento anunciou voz de prisão a Eduardo, pela prática de desobediência e, sem seguida, tentou retirar o motorista à força do interior da van, inclusive rasgando a camisa que trajava.

Com o embate físico entre os dois, o cabo Abelário desferiu um soco no rosto de Eduardo e o retirou do veículo, levando-o para trás do ônibus, onde o agrediram. Em seguida, ele foi imobilizado e algemado, inclusive, com o auxílio de outros militares. (Texto: Cristina Rosa – foto: João Sérgio / Assessoria de Comunicação Social do MP-GO)

 

Share Button

Em dezembro, Vale Fertilizantes patrocina dois cursos de capacitação agrícola em Ouvidor (GO)

Serão oferecidos os cursos de apicultura, além de formação e condução de pomar caseiro

Aquelas pessoas que, por algum motivo, ainda não participaram de um dos cursos de capacitação agrícola patrocinados pela Vale Fertilizantes têm nova chance em dezembro, quando serão oferecidos mais dois desses eventos para as famílias de ouvidor (GO) . Um deles é o de formação e condução do pomar caseiro; o outro é sobre conhecimentos básicos de apicultura. As iniciativas são resultado da parceria entre a Vale Fertilizantes, o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) e a Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg).

Apicultura – de 1º a 3 de dezembro. Os alunos aprendem a fazer reformas elétricas, hidráulicas e alvenaria utilizando materiais, equipamentos e técnicas adequadas. Além disso, aprendem técnicas sobre o cultivo de abelhas, comportamento, equipamentos, implantação de apiários, preparo e colocação de arame e cera, manejo de fumaça, captura, extração de cera, análise financeira, entre outras atividades.

Formação e condução do pomar caseiro - de 6 a 12 de dezembro. Os alunos aprendem a importância do pomar caseiro e seu planejamento, aquisição de mudas, demarcação e adubação de plantio, tipos e épocas de podas, condução das plantas, adubação em cobertura e irrigação, controle de pragas, doenças e plantas invasoras, colheita, aproveitamento e conservação de frutas.

Inscrições: Secretaria Municipal de Agricultura

Rua Joaquim da Silva Ribeiro, 215, Centro – Ouvidor (GO)
Telefone: (64) 3478-1585
Horário de funcionamento: segunda a sexta , das 7h às 11h e das 12h às 16h

 

Sobre o Programa de Apoio à Agricultura Familiar

Os programas oferecidos pelo Senar Goiás, em Ouvidor, fazem parte das ações do Programa de Apoio à Agricultura Familiar da Vale Fertilizantes. Contribuir para o desenvolvimento da agricultura familiar é um dos pilares de Patrocínios da empresa, que define sua atuação de incentivo a projetos sociais, esportivos, culturais, ambientais e técnicos.

Dentre as várias ações realizadas está o Programa Balde Cheio, em que produtores rurais são acompanhados por um técnico que os auxilia em práticas para otimizar a produção de leite. Outra iniciativa é o Agrinho, que capacita professores da rede pública para promover ações de responsabilidade socioambiental dirigidas a alunos do ensino básico.

Assessoria de Comunicação

Share Button